Para o homem que ri...

...e também chora, ora.

quinta-feira, outubro 06, 2005

Capítulo 6 - Respiração


...

.

...


.


...


.




...





.






...




.



...
.
...
.
...
.
...
.
...
.


.



.



.



.



...



A incapacidade de se derrubar lágrimas talvez seja o pior dos castigos.
Sem umidecimento, não há sequer respiração, a razão do viver passa a ser questão de apenas existir, parado, seco, sem sombra, sem água.

Agatha é levada ao estado da secura, por tudo aquilo que você sabe que aconteceu.
Ela se sente sufocada.
Ela envelheceu trezentos anos.
Ela secou por dentro.
Ela não quer mais chorar.
Ela nunca pára de chorar.
Mesmo sem poder derrubar nenhuma lágrima.
Não há dúvidas de quão pior isso se tornou.
Um choro seco, dói a cada lágrima que não saí.
Ele nunca alívia.
Ele incomoda.
Ele não termina.

:Se coloque, em seu lugar
Se comova, sem debulhar lágrimas
Se cale, com um grito que nunca cessa
Se construa, sobre um chão enlamaçado
Se confunda, onde quer que olhe
Se conforme, em nunca mais poder sorrir
Se conforme, em nunca mais poder chorar
Se conforme, em nunca mais poder gritar
Se conforme, em viver no seco.


Respirando
Devagar
Agatha
Quer chorar
E não sabe
Derramar
Qualquer gota


.


...

.

...
.
...
...
...
.
...
.


No entanto.
Ela tenta.

4 Comments:

  • At 12:46 AM, Anonymous  said…

    ai Dreh tadinha da Agatha =/
    essa estoria tah cada vez mais triste....

     
  • At 12:48 AM, Anonymous Anônimo said…

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

     
  • At 3:54 PM, Anonymous Anônimo said…

    ow. pra t falar a verdade esse verde limão dessa letra nem me inspirou pra ler.
    e nem li :)
    0 - estagiára do Jornal da Cidade :)

     
  • At 11:47 PM, Anonymous Anônimo said…

    nossa




    eu li
    O________________o

    0

     

Postar um comentário

<< Home